26 de fevereiro de 2011

Paralisia do sono na Idade Média

A paralisia do sono afeta os seres humanos desde sempre. Cada civilização interpretou este distúrbio à sua maneira, de acordo com a sua cultura e crenças religiosas.

Na Idade Média - e também em boa parte da Idade Moderna - acreditava-se que demónios, íncubos e súcubos, roubavam a energia das pessoas durante a noite: através do sexo, às vítimas era sugada a sua energia vital. Não admira que naquele tempo tenha ocorrido uma grande histeria, pois a paralisia do sono afeta cerca de 50% das pessoas de uma dada população, pelo menos uma vez durante a vida; era como uma confirmação para as crenças religiosas da altura.

É importante lembrar, no entanto, que a Idade Média foi muito mais calma e tolerante quando comparada com a Idade Moderna. De 1550 a 1650, em plena Idade Moderna, a histeria atingiu o auge.

Não é de admirar que atualmente existam relatos de experiências sexuais com extraterrestres: eles são os demónios do mundo moderno e, assim, podemos confirmar a subjetividade dos relatos por parte de pessoas que sofrem de paralisia do sono.

Sem comentários:

Enviar um comentário