4 de maio de 2015

Relato de Dayana

O meu nome é Dayana tenho 33 anos, sou de Minas Gerais. Sofri por 13 anos de paralisia do sono, há seis anos não tenho mais crises.
Curei totalmente, não querendo influenciar ninguém sobre religião, mas literalmente foi Deus que me curou.



De forma psicológica vou explicar porque. No meu caso, a cura se deve a tamanha insegurança que eu adquiri quando meu pai faleceu quando eu tinha 14 anos e juntamente com o stress do fato, surgiu a paralisia do sono. Quando eu aprofundei os conhecimentos sobre Deus e me apeguei mais a Ele, minha insegurança foi embora e eu deixei de ter as crises (graças a Deus).
É triste dizer que, só agora depois de 19 anos, através de uma amiga, foi que eu descobri sobre a paralisia do sono pois eu tratava o problema por 13 anos como síndrome do panico, nenhum profissional que eu fui diagnosticou como paralisia do sono. Eu sempre achei estranho pois meus sintomas nao eram sintomas de síndrome do panico, porém, como não havia outra explicação, deixei de lado. Assim que eu dormia, eu tinha as crises, via um vulto negro me cercando, certa vez este me abraçou, quase morri, tentei gritar, acordar, me mexer...não conseguia.
Quando eu consegui, eu estava a beira de infartar. Outra vez tive a crise e consciente, vi uma cena como se fosse de um filme bem antigo, um homem na maca, uma enfermeira e um medico, cuidando do enfermo, roupas antigas, tipo da segunda guerra mundial, enquanto eu via a cena projetada na parede do meu quarto, eu via tudo ao redor, tentava acordar, me mexer mas nada. Alucinações é tipico do assunto em questão.
Hoje vejo que tudo está relacionado ao nosso cotidiano guardado em nossa mente. Depois que meu pai faleceu, ele me dava muita segurança, a segurança (no meu inconsciente) foi embora com ele, dai essa insegurança tremenda veio em forma de um vulto de um homem (simbolizando meu pai) preto, sombrio, escuro (simbolizando a proporção da minha insegurança deixada pelo meu pai) e isso me atormentava todas as noites. Emparelhado com a paralisia tornava-se mais intenso o medo e consequentemente causando panico na hora de dormir e do escuro.
 O sonho na parede foi uma alucinação devido minha admiração ao meu bisavô que trabalhou na segunda guerra mundial. Então, quando eu reforcei minha fé em Deus, minha insegurança foi embora, junto com o stress também e nunca mais tive a crise, hoje durmo no escuro total e não tenho nem sequelas dos 13 anos sofridos.
Tive várias experiencias que daria um livro, porem gostaria de aconselhar a todos que procurem saber qual é a causa, o que gerou a paralisia, qual é a raiz disto, e trate-a, pois quem sabe assim, você se libertará desse transtorno que só quem passa ou passou sabe o quanto horrível é.

30 de março de 2015

Paralisia do Sono - Relatos

Se o leitor quiser partilhar com a comunidade a sua experiência com a paralisia do sono, envie o seu relato, juntamente com o seu primeiro e último nome como comentário a este post.

Após o comentário será publicado no blogue no espaço de dez dias. Obrigado!

Relato de Rui Santos

Normalmente nos meus episódios de paralisia do sono sofro sempre de visões assustadoras. Vejo vultos aos pés da minha cama que sempre sobem e sentam sobre o meu peito. Pelo que li em outros relatos o meu caso é bastante comum. Fico paralisado sempre só por alguns segundos, mas é o suficiente para os episódios serem sempre maus. Acho que os vultos são sempre os mesmos. Eles estão sempre presentes quando tenho paralisia do sono.

Já procurei curar a paralisia com bruxas e médicos, mas nem as bruxas nem os médicos resolvem o meu caso. Só rezando é que a paralisia do sono passa. Acho que é mesmo porque eu rezo muito que os meus episódios só duram poucos segundos.

24 de março de 2015

A paralisia do sono e os raptos por alienígenas

"Embora não seja bastante conhecida, uma síndrome psicológica comum, um tanto parecida com o rapto por alienígenas, é a chamada paralisia do sono. Muitas pessoas a experimentam. Acontece naquele mundo crepuscular que fica entre o estar plenamente acordado e o totalmente adormecido. Por alguns minutos, talvez mais do que isso, a pessoa fica imóvel e agudamente ansiosa. Sente um peso sobre o peito, como se um ser ali estivesse sentado ou deitado. A batida do coração é rápida, a respiração penosa. Pode-se passar por alucinações auditivas ou visuais  de pessoas, demônios, fantasmas, animais ou pássaros. No ambiente adequado, a experiência pode ter "toda a força e todo o impacto da realidade", segundo Robert Baker, psicólogo da Universidade de Kentucky. Às vezes há um componente sexual marcante na alucinação. Baker afirma que esses distúrbios comuns do sono estão por trás de um grande número, se não da maioria, dos relatos de raptos por alienígenas."

in O Mundo Assombrado pelos Demónios, de Carl Sagan

16 de março de 2015

A paralisia do sono mata?

A paralisia do sono é relativamente inofensiva. Quando ocorre o corpo sabe rapidamente que já acordou e após alguns segundos ou poucos minutos desativa a atonia muscular (paralisia). Essa atonia muscular serve para evitar que nos magoemos durante os sonhos. Durante a paralisia ocorrem algumas alucinações, mas pertencem totalmente ao sono REM, não são de modo algum reais e por isso são completamente inofensivas. Sendo assim, a paralisia do sono não mata e simplesmente não pode matar. O que pode acontecer é que o medo provocado pelas alucinações pode provocar um ataque cardíaco, mas não tenho conhecimento de que isso alguma vez tenha acontecido com alguém e acredito que caso tenha acontecido não se pode saber. A morte durante um episódio de paralisia do sono ficaria registada como uma morte por ataque cardíaco e seria difícil para um médico admitir que as duas situações estariam ligadas pela causalidade.