12 de julho de 2011

Relato de Bruno Souza

Tenho paralisia do sono há mais ou menos 10 anos. A paralisia ocorre umas 2 ou até 3 vezes por mês, e mesmo ao longo desses 10 anos, ainda é aterrorizante. Em muitas delas, a paralisia sempre começa quando eu sinto alguma coisa chegando perto de mim. Teve uma vez que eu, em plena lúcidez, senti uma mão tocar meu ombro e imediatamente eu paralisei. Eu entrei em estado de choque pois era uma das primeiras vezes que isso acontecia.

Com o receio de comunicar pais, namorada e amigos, temendo eles acharem um deboche, eu nunca pronunciei nada a respeito, e nem sequer durante todo esse tempo que eu tenho paralisia do sono tinha ouvido ou visto alguêm falando a respeito disso, e confesso: eu achava estar possuído. Mas possuído pelo quê? Pois em muitas delas só via uma sombra negra de um homem me olhando em frente à cama... mas em outras, um senhor segurando uma cruz. O episódio da cruz eu me lembro muito bem, o homem me olhava como quem zela por alguêm... e sinceramente, eu rezava aquilo ser algo direto de DEUS.

Para quem tem paralisia do sono como eu, pode responder do mesmo modo: é algo que não se deseja para ninguêm, ninguêm mesmo. Hoje em dia a paralisia vem umas 3 vezes por mês, e para ser sincero... eu já me acostumei. Relaxo cada músculo do corpo, não tento nem gritar nem acordar, pois sei que será em vão. Eu só relaxo e conto cada segundo para que isso acabe.

Sem comentários:

Enviar um comentário