4 de julho de 2011

Terror Noturno

O terror noturno é um distúrbio do sono distinto dos pesadelos ou da paralisia do sono. Enquanto que os pesadelos e a paralisia do sono ocorrem durante o sono REM, o terror noturno ocorre durante o NREM (sono profundo). Outra diferença fundamental é que os episódios de terror noturno não são recordados pela vítima no dia seguinte, enquanto que os pesadelos e os episódios de paralisia do sono são recordados em todos os seus detalhes. O terror noturno é muito parecido com o sonambulismo, pois ambos são manifestações corporais automáticas que ocorrem durante o sono profundo.

O terror noturno ocorre principalmente com as crianças, e, apesar de parecer grave, não provoca danos físicos ou emocionais. É normal os pais tentarem acordar os seus filhos durante estes episódios, mas isso é muito difícil e não é necessário. Os episódios de terror noturno duram de 15 a 20 minutos, e a criança, por mais incrível que possa parecer, está a dormir profundamente - o que está aos berros, e completamente aterrorizado, é apenas o seu corpo em modo automático. Não vale a pena acordá-la nem pegar nela ao colo, porque alguns especialistas de sono advertem que isso pode até fazer com que o episódio de terror noturno se prolongue. O melhor a fazer é ficar perto da criança, para impedir que se magoe, até que o episódio termine.

Causas

A ciência ainda não sabe qual é a causa do terror noturno, mas alguns especialistas apontam para uma imaturidade do sistema nervoso - e isso pode explicar porque este distúrbio do sono aflige maioritariamente as crianças. Outra teoria, afirma que algumas memórias, ao serem organizadas no Hipocampo (zona central da memória no cérebro), durante o sono profundo, são tão conflituosas que provocam estes episódios de terror noturno. Assim, segundo esta teoria, o terror noturno trata-se apenas do organismo a exteriorizar o excesso de informação - principalmente a informação que vem anexada com emoções fortes - de modo a alcançar o equilíbrio emocional.

Sem comentários:

Enviar um comentário