11 de julho de 2011

Tipos de paralisia do sono

Existem três tipos de paralisia do sono: familiar, patológico ou isolado.

O tipo familiar é o mais raro. Deve-se à herança genética, ou seja, o problema está nos genes associados ao sono que são partilhados por vários membros de uma dada família. Pode surgir em qualquer altura da vida, sendo que depois permanece para sempre. A causa é uma mutação nesses genes que ocorre quando o material genético está a ser copiado, durante a divisão celular, um erro que surge naturalmente (como acontece com alguns casos de cancro), provocado pelos raios cósmicos (fotões de alta energia), pelo contato indevido com substâncias químicas ou ainda pelo fumo do tabaco.

O tipo patológico está associado a outros distúrbios de sono, como a narcolepsia ou o bruxismo. Nestes casos, a paralisia do sono é apenas um efeito secundário de uma dada patologia. É comum nos casos patológicos a paralisia do sono surgir ao adormecer, enquanto que nos casos familiares e isolados só surge ao acordar. Por isso, se um paciente apresentar esta condição ao adormecer é um forte sinal de que pode sofrer de narcolepsia ou bruxismo. Recomenda-se a medicação.

O tipo isolado é o mais comum. Está associado a altos níveis de ansiedade ou stress, provocados por um trauma recente como, por exemplo, um divórcio. Surge devido a alterações no processo normal do sono e desaparece logo que os níveis de stress ou ansiedade do paciente diminuem. Este tipo é responsável pelo facto de 50% da população mundial poder vir a sofrer de paralisia do sono, pelo menos uma ou duas vezes, durante a vida. Um sistema emocional em equilíbrio evita que ocorra.

1 comentário: