20 de fevereiro de 2012

Crentes, céticos e extraterrestres


Nos Estados Unidos da América tem ocorrido nos últimos 10 anos uma guerra de argumentos entre crentes e céticos sobre a paralisia do sono, com extraterrestres à mistura. Isto acontece porque os norte-americanos são obcecados por extraterrestres que, segundo os crentes, aparecem durante a noite para raptar vítimas inocentes. Durante os raptos, dizem os crentes, essas criaturas de outros planetas paralisam as suas vítimas enquanto estas dormem e muitas vezes até praticam experiências sexuais com os pobres terráqueos indefesos.

Os céticos argumentam que a paralisia do sono deve ser a causa dessas experiências. Os relatos das vítimas apontam para essa teoria: estas não se conseguem mexer, sentem uma pressão no peito, algum sufoco e uma espécie de choque elétrico – os sintomas habituais da paralisia do sono. Nesse caso, porque aparecem extraterrestres aos americanos durante a paralisia do sono e não vultos, demónios ou fantasmas como na Europa ou no Brasil? Segundo os céticos, isto acontece porque o imaginário popular americano está povoado por extraterrestres, fruto das superstições Nova Era, avistamentos de OVNIS, etc. Em suma: as pessoas vêem aquilo em que acreditam.

Quem não acha graça a esta interpretação são os crentes. Segundo estes, os céticos não acreditam em nada, são inveterados céticos, cabeças de couve. Os céticos, por seu turno, acusam os crentes de não tomarem as provas em consideração, de quererem acreditar e não entender. Uns, os céticos, permanecem agarrados aos seus argumentos desapaixonados, frios, objetivos. Outros, os crentes, permanecem agarrados às suas teorias fantásticas, às suas conspirações galáticas. Podemos dizer que não se entendem. Nesta discussão pouco importam os argumentos, porque, em todo o caso, um crente permanecerá sempre crente e um cético será cético para toda a vida.

Eu enquadro-me no grupo dos céticos, embora esteja muito para além destes. Uma discussão sobre extraterrestres que raptam pessoas a meio da noite parece-me tão bizarra como discutir se um elefante cor-de-rosa invisível está ou não está na minha cozinha. O meu argumento contra os crentes seria o silêncio, que me parece mais prudente e sensato. Digamos que temos de escolher entre duas teorias: os extraterrestres viajam anos-luz para vir raptar pessoas a meio da noite e parecem gostar muito dos Estados Unidos para essa missão (bem, eles também têm direito ao sonho americano), ou são apenas sintomas da paralisia do sono, simples alucinações. Escolher a teoria que melhor explica estes casos não me parece muito difícil.

O que não sabemos é a opinião dos extraterrestres sobre esta matéria. Será que eles estão do lado dos crentes ou dos céticos? Se eles andarem mesmo por Nova Iorque à caça de vítimas indefesas, então os crentes têm razão, mas seria hilariante ver extraterrestres a tomar o partido dos céticos! Melhor ainda seria isto também passar-se com eles. Imagino uma conversa entre dois seres de outro mundo sobre este tema, na qual um diz: «ontem tive um episódio de paralisia do sono e foi horrível, vi uma coisa muito assustadora!» «E então, que viste assim de tão assustador?», pergunta o outro curioso. «Vi um humano!», responde o primeiro, ainda muito abalado pela experiência. O segundo começa a rir-se e depois responde muito calmamente: «ora, deve ter sido apenas uma alucinação…»

2 comentários:

  1. Hehehehe... Eu acredito que sejam alucinações também. Mas realmente não há como mudar a cabeça de quem acredita serem extraterrestres...

    Excelente post! :)

    ResponderEliminar
  2. Excelente post. Irei republicar em meu blog, com a devida Fonte. Muito bom.
    http://paulo.abreu50.blogspot.com - "Ao pé da Pitangueira"

    ResponderEliminar