6 de abril de 2012

Definição da Paralisia do Sono


É interessante notar a incerteza presente na primeira definição médico-científica do distúrbio da paralisia do sono quando comparada com a definição atual. Essa primeira definição surgiu em 1876 pela mão do médico norte-americano Silas Weir Mitchell. No entanto, 25 anos antes, em 1851, foi publicado o famoso romance Moby Dick de Herman Melville, onde a personagem principal, Ismael, sofre um episódio de paralisia do sono. A definição do doutor Mitchell é muito parecida com a descrição do episódio que encontramos no romance de Melville, e isso talvez signifique que o médico norte-americano tenha lido Moby Dick.

Silas Weir Mitchell, na sua posição de médico, tentou libertar-se do folclore associado à paralisia do sono e em 1876 definiu da seguinte forma esse distúrbio do sono: "O sujeito fica consciente em seu ambiente, porém não é capaz de mover um músculo sequer, com todas as aparências demonstrando que ainda está dormindo, numa luta para movimentar-se, repleto de angústia mental. Caso ele pudesse movimentar-se, o encanto desapareceria imediatamente".

A definição atual, passados cerca de 135 anos da publicação do doutor Mitchell, é muito mais objetiva: "Afeção comum caracterizada por paralisia transitória total ou parcial dos músculos esqueléticos e arreflexia que ocorre no despertar do sono ou, menos frequente, quando o indivíduo cai no sono. Estímulos, como toque ou sons, podem terminar o episódio que normalmente tem a duração de segundos a minutos. Esta afeção pode ocorrer em indivíduos normais ou estar associada com narcolepsia, cataplexia e alucinações hipnagógicas. A patofisiologia desta condição está intimamente relacionada com a hipotonia normal que ocorre durante o sono REM".

Em Moby Dick, Ismael descreve a sua experiência com a paralisia do sono da seguinte forma: "Lentamente ao acordar, mergulhado em sonhos pela metade, abri meus olhos e a luminosidade da ante-sala agora estava envolta por trevas exteriores. Instantaneamente senti um choque que transpassou toda minha estrutura. Nada havia para ser visto ou ouvido, porém uma mão sobrenatural parecia estar sobre a minha. Meu braço caído sobre a colcha, e a inominável, inimaginável e silenciosa forma ou fantasma a qual pertencia a mão, parecia sentada perto ao meu lado. Pareciam eras e eras que eu estava ali, congelado com os mais temíveis medos, sem atrever-me a arrastar minha mão, mas sempre pensando que se pudesse mexer um único dedo, a horrível magia seria quebrada".

3 comentários:

  1. Que bom que encontrei seu blog. Não conheço ninguém que sofra disso, além de mim. Nunca procurei ajuda médica por sequer cogitar um problema de distúrbio do sono. Não sabia como me informar sobre isso. Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, as vezes acontece comigo a paralisia do sono...realmente é uma sensação horrível. Comigo acontece da seguinte forma: sempre pela manhã sinto os olhos muito pesados quase que impossível de controlar e logo em seguida sinto o corpo pesado sem conseguir me mexer,falar,abrir os olhos..mas consigo ouvir o que acontece ao meu redor,a respiração também fica difícil, e quem passa por isso,pelo menos eu, tem consciência do que tá acontecendo naquela hora, eu tento manter a calma, mas a impressão que dá é que não vou mais acordar,e é um alívio quando abro os olhos...Obrigado por postar estes textos, sempre que puder, continue postando mais sobre o assunto.Abraços e boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Essa condição é muito ruim......padeço dessa assim paralisia do sono...porém tenho outros olhos para o que ciência diz sobre isso.
    Não consegue se mexer ou falar e em todas as vezes sente uma presença angustiante em redor....

    ResponderEliminar