13 de dezembro de 2012

Como induzir a paralisia do sono (IV)

Uma das formas mais fáceis de induzir a paralisia do sono é enganando o nosso próprio cérebro, bastando para isso conhecer o seu funcionamento. Quando estamos deitados, preparados para dormir, o nosso cérebro espera por uma imobilidade total para paralisar os músculos. Um barulho temporalmente regular pode interromper o processo do sono eficazmente.

Deite-se de peito para cima com um despertador perto de si programado para activar o alarme de 5 em 5 minutos. Não desactive o alarme, deixe que o incomode regularmente nesse espaço de minutos. Entretanto ignore o barulho e tente dormir tal como o faz normalmente. O que vai acontecer é que um dos alarmes irá coincidir com a passagem do estado de vigília para o estado de sono. A paralisia fica assim instalada.

Se realizar esta experiência com muito sono, o normal é a paralisia instalar-se ao segundo ou terceiro alarme (após 10 ou 15 minutos); sem muito sono é provável que ocorra ao quarto ou quinto alarme (após 20 ou 25 minutos). O importante é não se mexer durante todo o processo, mantendo-se relaxado e com a intenção de dormir.

5 comentários:

  1. Muito interessante, mas se o despertador tocar a pessoa vai acordar e a paralisia vai passar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Errado, pq na paralisia do sono vc não tá dormindo. Você está acordado e consciente, mas seu cérebro age como se vc estivesse dormindo. Ele ajusta os sonhos ao que vc está vendo (a realidade), como se fosse a realidade aumentada do Google Glass, ou seja, vc vê coisas com características relativamente REAIS, mas que não estão lá.
      E msm no sonho lúcido, vc não acordaria. É um sono muito, mas muito profundo MESMO, e com um mísero despertador vc não acordaria.

      Os sonhos lúcidos a paralisia do sono não são necessariamente algo ruim, depende muito do que tá na sua mente na hora que vc vai testar isso (ou, caso seja involuntário, do que vc JÁ TAVA SONHANDO). A experiência, apesar de amedrontadora, é boa. Uma das vantagens é que se for algo ruim, não vai ser apenas ruim... e sim PÉSSIMO. O cérebro vai pegar seus maiores medos e usá-los contra você, seja ele abstrato (como ter medo do inferno ou de espíritos, por exemplro) ou real (como, sei lá, perder algum ente querido, ser torturado ou ver alguém ser torturado... ou uma acrofobia, por exemplo). A vatangem disso é: por se tratar de um ambiente não-real, vc sairá fisicamente intacto (há chances de esquizofrenia por causa das experiências pesadas, mas são mínimas as chances). Isso serve para vc enfrentar seus maiores medos relativamente sem consequências. Se vc conseguir manter a racionalidade e a calma, vai perceber que aquilo não é real, ou, no máximo, achar que é real mas tentar enfrentar a situação racionalmente. Ou, se você se desesperar e sair do controle, ao invés de enfrentar e acabar com seu medo, ele pode acabar ficando ainda maior, changando ao estágio de uma fobia, ou um transtorno psicótico, tendo, então que recorrer a ajuda profissional psiquiátrica.
      Mas vale a experiência, DESDE QUE VOCÊ NÃO TENHA INSTABILIDADES MENTAIS. Gente insana não deve, EM HIPÓTESE ALGUMA, tentar usso voluntariamente, a não ser que queira acabar num sanatório.

      Eliminar
  2. Hm... esse trecho aqui: "irá coincidir com a passagem do estado de vigília para o estado de sono" aconteceu comigo de forma natural, foi minha primeira paralisia do sono, vou relatar:
    Eu jamais esperava que iria ter paralisia do sono, ou muito menos ter um sonho normal num simples cochilo depois da escola, eu dormi um pouco e sonhei bastante, já achei estranho... No sonho eu sentia sede, quando acordei, eu realmente estava com sede. Quando eu acordo por costume a primeira coisa que eu faço é abrir os olhos para manter o foco da visão (minha visão é muito sensível), então, eu iria me levantar para beber água, quando vou abrir os olhos... eles fecham sozinhos com força, do nada vem sons arrepiantes: VRUMMMMMMM..... como se fosse uma abelha no meu ouvido, o som do ventilador de teto ficou tão leeeeeento, que parecia "asas" batendo perto de mim. A claridade que entrava pela janela a batia nas minhas pálpebras, ficou VERDE. Eu não sentia meu corpo, nem a respiração muito menos os batimentos do coração. Fiquei super feliz com isso (kkk), mas o que me preocupou é que meus olhos não abriam... então fiquei com medo de perceber coisas ao meu redor e não poder ver. Começou meu desespero: eu fala em pensamentos: PENSA EM SONHOS, PENSA EM SONHOS, CALMA, CALMA... vi que não iria adiantar e me lembrei de uma dica que li num blog a muito tempo: "engolir seco pode ajudar a sair da paralisia", aproveitei a sensação de sede, na primeira tentativa que engoli seco sai da paralisia na hora... foi incrível!

    ResponderEliminar